Associação de Ténis de Mesa do Algarve

Oriunda da extinta Comissão Organizadora da Associação de Ténis de Mesa de Faro, a ATMA – Associação de Ténis de Mesa do Algarve, assumiu a missão de dar continuidade à divulgação de uma modalidade que um pouco por toda a parte já se praticava, anteriormente a 1967, denominada simplesmente por Pingue-Pongue.

Foi numa sala do Hotel Eva em reunião presidida pelo Sr. Manuel Silva Moura então Presidente da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa e para a qual um escasso número de seis pessoas correspondeu ao convite, que nasceu o movimento que criaria as condições para a implantação do Ténis de Mesa federado no Algarve.

A partir de então, cinco homens dotados de grande vontade e de verdadeiro espírito de sacrifício aceitaram o desafio de levar por diante – poderíamos dizer, sem meios – a difícil missão de organizar o Ténis de Mesa oficial. Quinhentos escudos foram nada mais, nada menos o valor concedido para os primeiros gastos, pelo organismo máximo da modalidade.

Foram anos seguidos percorridos com muitas vicissitudes, com altos e baixos, mas sempre com muito ânimo e generosidade. É com enorme saudade que relembro os clubes e atletas pioneiros que colaboraram activamente nos primeiros passos da modalidade.

Sport Faro e Benfica, Imortal de Albufeira Sociedade Artística Farense e Náutico do Guadiana. Seguiram-se muitos outros, tais como Alcantarilhense, Juventude Monchiquense, Louletano. Atletas de razoável valor afirmaram-se entretanto: José Pinheiro, o saudoso Casimiro Mendonça, Jaime Varela, Daniel Sanches, Anselmo Viegas entre outros, até centenas, que continuam a estruturar e a engrossar as fileiras da nossa modalidade.

Muitos anos de actividade, anos de luta contínua, difícil mas sem interrupções. Anos de representatividade de uma Província regularmente identificada em Torneios nacionais e além fronteiras, e muito especialmente através do grande Torneio Internacional Feira de Santa Iria / Cidade de Faro que a Associação tem granjeado e acumulado considerável prestígio.

Pela frente continua a existir um longo percurso a desbravar para o Ténis de Mesa; levar a modalidade a todos os pontos da Província é um direito da nossa juventude e para tanto contamos com a colaboração dos dirigentes das nossas colectividades e das Escolas que são a base de lançamento de todo o Desporto.